Comprei um relógio a corda





Comprei um despertador a corda. Desses que todos os dias é preciso rodar a manivela e dar uma carga para que ele possa trabalhar. Meu pai tinha um desses, prateado, lindo, que quando tocava parecia um sino badalando. O meu está muito aquém do dele, mas o barulho é ensurdecedor, parece à campainha do apartamento – com o detalhe de alguém apertando sem parar. No primeiro dia em que o despertador tocou, meus filhos correram rapidamente para ver quem estava à porta, desesperado. Rimos muito.

Mas, se não dermos corda todos os dias, o relógio para. Simples assim. O despertador é diferente dos relógios digitais que, de tempos em tempos, começam a mostrar sinais de defeito, avisando que em breve precisaremos trocar a pilha ou bateria.

Outro detalhe deste despertador a corda é que ele, realmente, gira no sentido horário. Nada de acertarmos a hora voltando o ponteiro porque ele emperra.

Os ponteiros, aliás, fazem um barulho alto – tic tac, tic tac, tic tac... Deve ser para avisar que o tempo passa, independente da nossa vontade, e não volta mais.

Eu estava dando corda no relógio e fiquei pensando que, nós humanos, somos iguais a ele. Porque todos os dias precisamos de uma carga de motivação para seguir em frente. Se não tivermos corda, paramos, nos entregamos a rotina, caímos no desânimo (às vezes até na depressão), na falta autoestima, na negatividade, na dor.

Mas, existem pessoas que funcionam mesmo como se fossem um relógio digital. Elas começam a dar defeito aos poucos, atrasam a vida até se desmotivarem completamente e são empurradas até perceberem que chegou a hora de trocarem a pilha. Ou seja, chegou a hora de elas mudarem, se reciclarem, se motivarem, se descontruírem, quebrarem paradigmas para que possam progredir.

As pessoas “relógios digitais” vivem apenas o presente e atolam os pés no passado, não enxergam e nem garantem o futuro. Vez por outra, elas tentam acertar a vida de maneira rápida e voltam os ponteiros no sentido anti-horário porque tentam queimar etapas para alcançarem situações impossíveis ou que se perderam no tempo e já não existem mais.



Felizmente, a vida não acontece assim e a natureza prova todos os dias.

A vida avança no sentido horário, apesar de pensarmos que a humanidade nos dá sinais contrários. Nós não retardamos a nossa evolução espiritual. Pelo contrário, todo o período de crise que passamos é de transição para podermos avançar, progredir.

Acredito que a grande vitória do ser humano sobre a sucessão dos fatos, está em todos os dias buscarmos uma carga de emoções, sentimentos, fatos, certezas, e até mesmo dúvidas, insucessos, fracassos que nos façam abrir os olhos para enfrentarmos, diariamente, os desafios. Porque só a motivação nos levará a conquistar, construir, realizar e vencer.

As pessoas motivadas, à corda, fazem barulho. Elas são alegres, otimistas e proativas.


Boa semana.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita.