Ser humanizado





Minha filha chegou hoje de uma formatura de medicina e contou que o discurso da concluinte/oradora lembrou o lado humanizado da profissão. Quando ela terminou, eu disse: tudo isso é balela, é vazio. De 100 médicos, só acredito que 10% darão tratamento humanizado ao paciente. Eu conheço profissionais que fazem cursos de formação humanística e sequer conseguem dar "um bom dia a alguém".

Quem é humanizado, verdadeiramente, é desde infância e cresce um adulto consciente de sua responsabilidade enquanto cidadão, porque recebeu desde o berço as noções de igualdade, fraternidade e respeito pelo outro e pelo patrimônio público.

Quem é humanizado não vive isolado na sua própria realidade, mas exerce empatia, busca o bem comum, preservando, contudo, sua individualidade e opinião.

Quem é humanizado, nesse país desigual que é o Brasil, sabe que o poder é branco e que são os pobres e pretos que superlotam o sistema penitenciário, que estão nos corredores dos hospitais sem atendimento, que mendigam pelas ruas, carecem de moradia e estão grafados na maior parte dos processos.

Quem é humanizado sabe, em qualquer profissão, se colocar no lugar do outro, principalmente, no que diz respeito à educação, saúde e justiça. Jamais se sentirá superior, mas igual.

Quem é humanizado, não precisa de retórica, simplesmente é. Ele sabe que, basta sair de casa para ouvir um grito oprimido e alarmante: você tem e eu não tenho. Esse grito se transforma cada vez mais numa grande onda de violência.








Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita.