Cataratas de Foz do Iguaçu















- Meu Deus! – Foi o que eu consegui dizer quando vi as Cataratas de Foz do Iguaçu em terras argentinas. A “Garganta do Diabo”, como é conhecida a maior queda d’água, salta aos nossos olhos como um inigualável espetáculo da natureza.



Ao fundo a Garganta do Diabo






Quem vai à cidade de Foz do Iguaçu, no Paraná, tem duas opções para ver as cataratas: do lado brasileiro e/ou argentino. Ambas pintam cenários inesquecíveis.





Se você estiver pensando em passar o feriadão da Semana Santa por lá, aí vão algumas dicas úteis:




Para chegar às quedas d’águas brasileiras é preciso andar uns 1200 metros. Mas, relaxe, porque será sob a sombra das árvores que margeiam o caminho. Do lado argentino, a caminhada está dividida em dois circuitos: Um em que se caminha uns 700 metros, pega-se um trenzinho, que leva 250 passageiros por viagem, e quando desce ainda caminha mais uns 2 quilômetros sobre umas pontes de ferro e sol a pino até chegar à Garganta do Diabo. 















O outro circuito, o turista tem a opção de ver mais cachoeiras, mas terá que andar quase 800 metros até o destino.



Cataratas Argentinas











No verão, a temperatura fica acima dos 30º graus e a sensação térmica em torno de 40º. Mesmo usando chapéu e roupa com fator de proteção solar, vale levar um guarda-sol ou pegar carona com um dos guias...



A maioria dos guias leva guarda-sol







No Parque Nacional de Iguaçu (lado brasileiro), os respingos das águas vão, realmente, ensopar a roupa. 








Há ambulante vendendo capas ao preço de 20 reais cada. Eu, por exemplo, comprei no hotel por 8 reais. Algumas pessoas preferem ir com roupa de banho.




Em ambos os parques existem lanchonetes e restaurantes, mas eles cobram preços abusivos. Você pode pagar em real, peso argentino, dólar ou euro - valendo pela cotação do dia. As filas são longas. Existem espaços para um rápido piquenique. 



Alguns turistas preferem sentar à sombra das árvores e levam o próprio lanche




Quatis oferecem perigo











Atenção redobrada para os quatis. Esses bichinhos, aparentemente inofensivos, transmitem raiva. Há diversas placas proibindo alimentá-los, mas infelizmente, as pessoas não obedecem. Então, eles estão acostumados com o cheiro dos alimentos e atacam bolsas e o turista. Eu presenciei um desses ataques que mais pareciam uma cena do desenho animado Zé Colmeia e Catatau.



Geralmente, os guias informam o valor durante o translado. Atualmente, para visitar as Cataratas Brasileiras o ingresso custa 35 reais por pessoa, e as Cataratas Argentinas, 65 reais por pessoa.











Como a cidade de Foz do Iguaçu tem como sua principal receita o turismo, prepare-se para gastar muito porque até as mercadorias do supermercado têm preço superior ao normal. Mas, inclua no passeio um jantar na Churrascaria Rafain (não é Publisher). O serviço de buffet é muito bom e você ainda assiste a um show de danças típicas da América do Sul.

Boa viagem!





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita.