Eu cultivo, tu cultivas, nós seremos felizes





O verbo cultivar, segundo o Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa, 2009, da Objetiva, é definido como sinônimo de tratar, plantar com cuidados especiais, dedicar-se a, aperfeiçoar-se entre outros.

Mas, cultivar deve ser uma tarefinha constante, senão diária e não está entre aquelas mais fáceis. Pelo contrário, cultivar exige uma doação, paciência, tolerância, um alto grau de compreensão e desprendimento de nós mesmos – sentimentos que muitas vezes estão apoiados num patamar maior do que acreditamos ter condições de superar.

Talvez tenha sido um desses patamares que tenha derrubado todo o projeto de um casal pernambucano de construir uma família quando o bebê nasceu com microcefalia – uma malformação genética que tem atingindo centenas de crianças no país, devido ao zica vírus transmitido pelo mosquito aedes aegypti. Na última noite de Natal, os pais entregaram seu filho a prima do marido, afirmando que não queriam cuidar porque exigiria  deles uma dedicação e cuidados especiais que eles não queriam ter. Nesse mesmo patamar podem estar também os maridos que abandonaram as mulheres pelo mesmo problema.

Cultivar exige responsabilidade. E ser responsável é assumir compromissos, respeitar condições, interagir com, e prestar contas perante alguém ou algo superior sem que com isso tenhamos que, necessariamente, morrermos. A vida é sistêmica e a cobrança vem mais rápido do que podemos imaginar... Como diz minha mãe, a cobrança está nas voltas em que a vida dá; está do outro lado da rua, no sentido oposto, no dia a dia...

A lição é muito simples: todos os sentimentos mais vis precisam ser transformados e os melhores, aperfeiçoados. Na semana que se findou, quando eu relembrava alguns fatos que marcaram minha vida, perguntei a mim mesma porque eu tinha perdoado algumas pessoas. Só encontrei esta resposta: Porque o meu amor foi maior do que o meu ódio.

Foi fácil? Não.
Obedeceu a uma temporalidade estipulada previamente por mim? Também não.

Então, que possamos cultivar, ou melhor, tratar com cuidados especiais as pessoas com quem nos relacionamentos seja pelos laços consanguíneos ou de coração. Elas estão por toda parte: na família, nos relacionamentos afetivos e nos círculos de amizade.


Ótimo início de semana.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita.