Ainda estamos construindo com os filhos a sua melhor parte







“Educar é ser um garimpeiro que procura os tesouros do coração”.

Augusto Cury



Ultimamente tenho assistido, principalmente no facebook, muitas mães com filhos ainda bebês dizendo que eles são a sua melhor parte.

A melhor parte de mim está em mim e não no outro. Não posso transferir essa responsabilidade para os meus filhos, mas posso encaminhá-los, incentivá-los, motivá-los e corrigi-los para que eles desenvolvam a sua melhor parte. Nisso, acredito, consiste a educação.

Meus filhos são individualidades. Mas, também foram quando crianças esponjas. Absorveram meu exemplo e o do pai em relação ao caráter. Tivemos o cuidado de não camuflar as verdades, de premiar seus esforços, de estimular as boas ações e amizades, de criar responsabilidades, de punir os erros, de obrigá-los a ter disciplina e de respeitar o outro ao mesmo tempo em que respeitávamos suas escolhas e limitações.



Nesse intervalo do tempo, precisamente entre a infância e adolescência - onde os pais têm as chances de delinear a conduta dos filhos, foram ressurgindo também, nesses espíritos com experiências milenares, os seus defeitos.  Pelo amor, alguns foram imediatamente identificados e reconduzidos ao caminho do aperfeiçoamento moral. Mostramos-lhes a temporalidade e a fragilidade da vida material e possibilidade de melhoria espiritual. E para esta tarefa, contamos com o auxílio da religiosidade, alicerçada na fraternidade e no amor.

Mas, como espíritos em evolução moral e espiritual ainda travamos uma luta entre a nossa melhor e pior parte. E nesta condição estão pais e filhos. Haverá vivências únicas e individuais que, provavelmente pela dor, tratarão essas mazelas e nos reconduzirão ao caminho de uma perfeição espiritual. Porque acreditamos ser este o destino de todos e cada um receberá segundo o que construiu.

E alhures, nessa imensidão chamada universo, um dia nos reencontraremos. Juntos, as nossas melhores partes auxiliarão aqueles que, porventura, ainda estiverem no caminho.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita.