Uma paradinha para manutenção das engrenagens










 “Ando devagar porque já tive pressa
E levo esse sorriso porque já chorei demais.”

(Seguindo em frente – música de Almir Sater/Renato Teixeira)


Enfrentando uma crise impiedosa de coluna, numa dessas “noites traiçoeiras” que a vida oferece a todas as pessoas em momentos distintos, me fez pensar, dentro do ninho, que a vida é cheia de bolhas de sabão, onde cada uma tem suas características e emoções.  E que quando estamos dentro de uma bolha, as outras se tornam invisíveis até o dia em que, inesperadamente, entramos numa delas.

Foi numa dessas bolhas que eu entrei, recentemente, e tenho aprendido muitas lições, entre elas:

- Uma cadeira de rodas pode ser mais visível do que um ser humano. Andando numa delas por vários lugares, observei que muitas pessoas se sentem no direito de movê-la sem, no mínimo, cumprimentar ou até mesmo perguntar para quem está usando se pode fazer isso.  Engana-se, também, quem pensa que as cadeiras de rodas são tão anatômicas e confortáveis quanto parecem ser:).  

- Observei que a falta de respeito é justificada pela pressa que muitas pessoas têm. Portanto, não devemos nos surpreender se pessoas com necessidades especiais levem empurrões, por exemplo, na fila de um self service.

- Andar de cadeira de rodas ou bengala não é constrangedor. Constrangedor mesmo é a expressão de muitas pessoas que misturam curiosidade com piedade momentânea e, algumas vezes, a solidariedade falsa.

- É preciso ter destreza para andar de bengala. Sem a sincronia com a terceira perna temporária, o chão poderá ser o alvo.

- As calçadas, ao menos em Recife, servem como treinamento para provas com obstáculos. Não há condições de acessibilidade sequer em algumas das clínicas e consultórios especializados no tratamento ortopédico.

- O corpo, inexoravelmente, obedece a ciclos e as engrenagens requerem manutenção - que deveria começar desde o nascimento. Todas as engrenagens estão interligadas e os médicos deveriam  nos alertar, mesmo que para isso levassem mais tempo numa consulta. Mas, o que fazer se alguns deles não têm tempo e se preocupam apenas (e mal) com a sua especialidade?

- Mesmo com o corpo saudável, toda pessoa deveria ter um fisioterapeuta para chamar de seu. Eles não só corrigem problemas, mas previne-os.

- As distâncias mudam e contrariam a lei da Física. Descobri que meu apartamento é dividido em quarteirões e para ir a cada dependência, devo percorrer a distância de uns 3 a 5 deles.

- O amor de mãe é mesmo indescritível. Porque mesmo minha mãe sentindo as eternas dores da artrose que lhe castiga há anos, tem muita alegria a cada melhora que apresento. 

E que a família é o nosso pilar de sustentação e a mureta de 
proteção em todas as horas.




Um comentário:

  1. É maravilhoso saber que pessoas como você partilham suas "bolhas" da vida e que isso nos faz muito bem ler, principalmente quando passamos por momentos muitos parecidos.
    Parabéns pela recuperação e pelo aprendizado!
    Bjos!

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita.