Minha Caruaru querida










Ir para Caruaru nesta época do ano não tem preço. A cidade, que fica a 134 km de Recife, é o atrativo principal dos festejos juninos. Com vários polos de animação com o típico forró pé de serra e outros tantos eletrônicos, o turista que sai de Recife logo pela manhã pode ir parando, durante todo percurso, para aproveitar os atrativos que margeiam a BR-232. E uma dica é sair de casa sem tomar o café da manhã, porque oportunidade haverá. Leve a família.

De cara, a parada obrigatória é na cidade de Pombos para iniciar a degustação. Não precisa entrar na cidade, mas parar nas dezenas de barraquinhas montadas na BR e comer milho cozido ou assado na brasa. Há poucos metros dali, o turista vai encontrar o Restaurante Cabana de Taipa que, como o próprio nome já diz, serve comida regional (acesse aqui para saber mais).

E seguindo viagem, sem entrar na cidade de Gravatá - conhecida pelo seu comércio de artesanato e polo moveleiro, o turista poderá lanchar na cidade de Bezerros, bem pertinho de Caruaru. Lá, a parada é na Norte Bolos, uma padaria e lanchonete que representam o que a cidade produz de melhor nesse aspecto.



Filhos, nora e genro se divertiram muito



Na Norte Bolos há variados bolos, entre eles de milho, tapioca, Souza Leão, mandioca, o tradicional e pernambucano bolo de noiva e de rolo, tortas, doces, salgados, além das canjicas, pamonhas, e compotas. Geeeeente, é bom demais. Agora, a Norte Bolos também oferece um self service com café regional, onde acrescenta as frutas da região. Acrescente a tudo isso a música dos forrozeiros Santana, Luiz Gonzaga, Jorge de Altinho e Dominguinhos.















É quase impossível o turista sair da Norte Bolos sem antes fazer uma visitinha na Padaria. Lá, os bolos, bolachas, biscoitos, doces, vinhos e outros itens têm preços bastante acessíveis.

Já de bucho cheio, chega-se a Caruaru. Ponto de encontro de muitas excursões é a Feira de Artesanato, onde de tudo tem um pouco. Couro, redes, palha, renda, bordados e objetos esculpidos na madeira não são apenas o que tem de melhor, mas o que de cara o turista fica encantado, além do acolhimento dos artesões, ao som da Banda de Pífanos de Caruaru. 














"Olha isso aqui tá muito bom
Isso aqui tá bom demais. 
Olha, quem tá fora quer entrar
Mas quem tá dentro não sai."

(Dominguinhos, música "Isso aqui tá bom demais")









E o turista chega ao Alto do Moura, um bairro há 7 km do centro de Caruaru e considerado o maior Centro de Arte Figurativa da América Latina - o reduto dos artesãos mais famosos de Caruaru, entre eles o Mestre Vitalino. Aliás, foi Vitalino Pereira dos Santos que levou fama ao lugar e fez escola. Porque de suas mãos, modelando o barro, ele recriou as cenas do cotidiano do sertanejo e exportou sua arte para o exterior.  





Vitalino aprendeu a esculpir seus bonecos de barro ainda criança, enquanto via sua mãe fazer pratos e panelas para vender na feira. Aos 11 anos, ele já vendia seus primeiros trabalhos. Seu legado modificou a vida de muitos nordestinos que encontraram o sustento na arte.

Mesmo depois da fama, Vitalino continuou morando no Alto do Moura e sua casa simples se transformou em Museu. Lá, podem ser vistos alguns de seus objetos pessoais e móveis, além do visitante ser recebido por um de seus filhos, Severino Vitalino.





No Alto do Moura, o turista vai se deliciar com a grande quantidade de oficinas de arte, pode também se encantar com as esculturas em tamanho natural, que tornam o Alto do Moura um dos maiores centros de expressão artística da América Latina.








O turista pode se surpreender com os preços das peças que variam de 5 a 20 mil reais, podendo chegar a muito mais. 






Ficar no Alto do Moura ou seguir viagem? 

Em junho, o turista deve seguir viagem e parar novamente no centro de Caruaru, onde há mais e mais polos de animação, incluindo o Parque de Eventos Luiz Lua Gonzaga, com comidas típicas, shows de bandas locais e nacionais. Diversão não vai faltar até o dia amanhecer.


Este ano, o São João de Caruaru está homenageando o artesão Manuel Eudócio, o sanfoneiro Heleno dos Oito Baixos e o ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos.

(Não é publisher)

 

3 comentários:

  1. Foi muito boa essa viagem, aproveitamos muito e por sinal, rendeu bons frutos!!! Adorei a matéria!!!
    Os Belos nas fotos!!! \o/

    ResponderExcluir
  2. Foi muito boa essa viagem, aproveitamos muito e por sinal, rendeu bons frutos!!! Adorei a matéria!!!
    Os Belos nas fotos!!! \o/

    ResponderExcluir
  3. Que viagem bacana!
    Fiquei aguada por aquele pé de moleque hummmm

    Um beijo

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita.