É preciso não confundir instrução com educação



Outro dia eu e um colega de trabalho estávamos esperando uma vaga no estacionamento da empresa. Já tinham alguns minutos de espera quando desocupou uma vaga. Quando meu colega ia fazer a manobra para estacionar, porque ele tinha chegado bem antes de mim, apareceu num passe de mágica um carro que estacionou na sua vaga. Sem olhar sequer para lateral, desce o jovem motorista, estagiário da empresa, e seguiu seu destino.

Na semana passada, lá estava eu fazendo uma manobra para estacionar o carro de ré, quando o alerta soou. Freei bruscamente e como eu estava numa distância grande da grade de proteção, olhei pelo retrovisor para ver o que era. Era nada mais, nada menos do que o mesmo estagiário que, mesmo vendo que eu estava dando ré, tinha passado atrás do carro. Sem se importar, ele seguiu seu destino.

Como esse jovem, existem muitas outras pessoas. São pessoas que carecem de educação e, por tabela, respeito. Penso que daqui a alguns meses, esse jovem será jornalista e terá o compromisso de informar à população os fatos, entre eles à falta de respeito com o dinheiro público, com a saúde e educação da maioria dos políticos e governantes do país.

Esse mesmo jovem e futuro profissional poderá se dedicar ao esporte e além de informar, poderá comentar e fazer juízo de valor, por exemplo, de lances e arbitragens duvidosas onde sejam questionados a ética e o respeito no meio de campo.

Fico pensando que, como o mundo não é maternal, são pessoas como essas que desprovidas de respeito, aprendem na rua e através da força que seu direito começa quando o do outro termina. Simples assim. Mas, infelizmente, essa lição tão básica deixa de ser transmitida ainda por muitos pais.

E lembrando a mensagem de Vinicius, no livro em Torno do Mestre (FEB, 1947 aprox.) que diz:

É preciso não confundir instrução com educação. A educação abrange a instrução, mas pode haver instrução desacompanhada de educação. A instrução relaciona-se com o intelecto: a educação com o caráter. Instruir é ilustrar a mente com certa soma de conhecimentos sobre um ou vários ramos científicos. Educar é desenvolver os poderes do espírito, não só na aquisição do saber, como especialmente na formação e consolidação do caráter.
[...]
Os pais geralmente se preocupam com a carreira que os filhos deverão seguir, deixando-se impressionar pelo brilho e pelo resultado utilitário que de tais carreiras possam advir. Entretanto, deixam de atentar para a questão fundamental da vida, que se resolve em criar e consolidar o caráter. Antes de tudo, e acima de tudo, os pais devem cuidar da educação moral dos filhos, relegando às inclinações e vocações de cada um a escolha da profissão, como acessório. (grifo nosso).


Bom início de semana.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita.