Coisas que li por aí: o tempo





O tempo que nos une


"Afinal, o que é o tempo?, pergunta-se Agostinho em Confissões: "Se ninguém me pergunta eu o sei; mas se me perguntam, e quero explicar, não sei mais nada".

De fato, sabem o que queremos dizer quando afirmamos que não temos tempo, quando perguntamos há quanto tempo algo aconteceu ou quando constatamos que "o tempo voa".

Mas essa familiaridade com alguns usos cotidianos da noção de  tempo não implica que compreendemos a natureza da experiência humana com o tempo.

Para Agostinho a experiência humana do tempo não é a mera passagem contínua de instantes desconexos, mas um presente que se reparte em três dimensões interligadas:

1) a lembrança, que faz o passado tornar-se presente;
2) a expectativa, que faz o futuro mostrar-se como possibilidade presente;
3) e o próprio presente, em que manifesto a atenção do momento. 


O tempo não é, pois, algo externo ao homem, mas uma dimensão de sua estrutura psíquica que, no presente, distende-se para o passado e para o futuro. 

A experiência dessa temporalidade é, pois, o que nos faz seres enraizados no passado e capazes de projetos futuros; que nos transforma em seres atuantes ao longo de um tempo que tem duração e se prolonga entre o passado e o futuro. 

Trata-se, portanto, de uma experiência que nos aparta dos outros animais que só vivem um eterno presente, sem rastros do passado nem expectativa quanto ao futuro." (destaques nossos)
[...]

(José Sérgio Fonseca de Carvalho, Doutor em Filosofia da Educação)


Um comentário:

  1. o tempo è o que fazemos com ele.
    se estamos bem, e nos divertimos o tempo voa.
    mas se estamos mal acompanhada, o tempo o tempo parece nao passar nunca.
    obrigado pela visitinha e volte sempre.

    http://fifiacrocheta.blogspot.it/

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita.