Alegria compartilhada






Esta semana, recebi pelo whatsapp a seguinte frase da escritora Lya Luft:


“A dor compartilhada é uma dor menor.
A alegria compartilhada é uma alegria maior.”


A frase me reportou aos meus filhos. Nós os criamos afirmando: 


- Sua felicidade será sempre a nossa.

Um dia, minha filha Amanda Carolina, ainda criança e de tanto ouvir a afirmativa, quis se certificar ainda mais e perguntou pra mim:

- Mainha, quer dizer que quando eu estou feliz tu também estás?

- Eu também estou. - Respondi.

Os filhos memorizaram. Mas, era Amanda Carolina que, regularmente e quando acontecia um fato muito bom na escola, ligava pra mim no trabalho:

- Alô!
- Mainha?
- Sim, sou eu linda.
- Mainha, tu tás feliz?
- Estou. – Respondia já antevendo o fato.
- Mainhaaaa, eu tô feliz porque... (e começava a desenrolar o fato, sempre rindo).

Atualmente, muitos fatos são contados imediatamente pelos filhos via whatsapp, sms, telefonemas e emails como este:

“MEU TRABALHO FOI ACEITO NO INTERCOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOM
UHUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUL”

Como a felicidade é uma construção diária e se transforma em pequenos fragmentos vividos, hoje estamos novamente felizes porque ela está viajando para apresentar seu trabalho de pesquisa, como estudante da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), no Intercom - XVII Congresso de Ciências da Comunicação, aprovado na categoria júnior. Que seja o primeiro de muitos...

E mesmo tendo consciência que alegria por mais que seja compartilhada, é um sentimento difícil de invadir muitas pessoas, compartilho com os leitores para torná-la ainda maior.

Bom início de semana.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita.