O que me faz sorrir









Há pessoas com sorriso fácil. Elas sorriem de tudo e ... de todos.

Outras, simplesmente, não conseguem encontrar a graça onde realmente tem alegria  e, menos ainda, naquilo que poderia ser visto pelo prisma da leveza. Mas, também há pessoas carrancudas e sérias por fora, que não traduzem o que sentem por dentro – porque elas têm serenidade e conseguem sorrir dos fatos mais inusitados que a vida lhes presenteia.

Sorrir ou chorar? Sorrir, é claro. Chorar só com as boas emoções.

A atriz Drica Moraes, na sua rápida atuação no papel de Cora (ou Cobra), na novela Império (Globo, 2014), protagonizou cenas em que seu amor misturava-se ao ódio, à ironia, ao deboche e ao sorriso de satisfação. Foram cenas fortes que demonstraram esse imenso caldeirão em que fervilham os nossos sentimentos. Porque sorrir é um estado de espírito, d'alma.

Não estamos falando do sorriso da gentileza, da boa educação, mas o sorriso da leveza, da espontaneidade, do espírito. Aquele sorriso que traduz o detox espiritual e depois causa uma sensação de bem-estar que gostaríamos que fosse prolongada e, só aos poucos, mergulhássemos novamente na realidade. Estamos falando do sorriso que produz endorfina e nos deixa, realmente, felizes.

Perguntamos para algumas pessoas, entre homens e mulheres, o que os fazem sorrir?

"O que me faz sorrir é a cumplicidade espontânea dos meus dois filhos, Iaco - com 4 anos e Naylla, com 1 ano. É muito prazeroso perceber um pequeno detalhe, um gesto. Então, nesse momento eu sou envolvida por um sentimento incondicional e isso me fala à alma e me faz sorrir".
(N. S. - 26 anos)

"Eu posso afirmar que são algumas situações que para muitas pessoas podem ser tristes, mas que por um comportamento que ainda não sei identificar, me faz sorrir. Principalmente, quando começo a relembrar fatos estressantes como por exemplo, há alguns anos que minha casa foi invadida pelas águas numa dessas chuvas, e quando penso que passei por tudo isso me faz rir. Também não consigo deixar de sorrir de quem leva queda. Só em pensar, já estou sorrindo (risos)."
(J. F. S. - 36 anos)

“O que me faz sorrir com a alma é a sensação do dever cumprido.”
(E.S. – 49 anos)

“Parece que só existem coisas que acontecem comigo (risos). Elas são inusitadas. Só para você ter uma ideia, um dia eu estava dançando forró e um homem passou a mão na minha axila e começou a cheirar (kkkk). Outro dia, eu estava sem óculos e num hospital para fazer exames. Quando terminou o exame, fui lanchar. Sem os óculos, sequer percebi que ao invés do canudo, eu estava sugando uma colher (kkkk). Também quando me lembro de fatos da minha infância, dou muitas gargalhadas.”
(L. S. S. – 51 anos)


“Tenho uma filha deficiente (Emoção). Ela depende de todos nós para atender suas necessidades mais básicas, até para se virar na cama. Mas, ela já acorda sorrindo. Então, quando eu chego do trabalho cansado ou estou aborrecido e entro no quarto dela, eu sorrio com o espírito, porque ela está sempre sorrindo pra gente. Eu penso que se minha filha não fosse doente, ela seria uma pessoa de bem com a vida em todos os sentidos. Minha filha me faz sorrir.”
(J.S. – 56 anos)

“Meu sorriso espontâneo vem do bem-estar dos meus filhos. Mas, eu não sou uma pessoa de sorriso fácil. No ambiente de trabalho, sorrio quando as pessoas me deixam tranquila e há união, transparência e concordância das partes nas tarefas a serem executadas.”
(R.D. – 37 anos)

“Num tempo em que se vive sobre pressão psicológica no trabalho - por conviver com pessoas que variam de humor, sorrir com a alma, às vezes, se torna tão distante ou a gente nem percebe que faz tempo que isso não acontece. Sua pergunta é boa. Faz a gente refletir sobre a vida que estamos levando.”
(V. M. – 43 anos)

"Uma pergunta aparentemente fácil, mas não é. O que me faz sorrir, atualmente, é assistir a presidenta Dilma Rousseff fazer um discurso contrário à realidade, e tentar convencer a população o que os fatos demonstram ser ao contrário."
(G. C. - 40 anos)

“Quando eu consigo controlar meus impulsos, a minha raiva e tenho a certeza que fiz a coisa certa. A sensação de bem-estar me envolve e isso me faz sorrir. Porque, na verdade, eu venci a mim mesmo.”
(A.M. – 50 anos) 

RECIFE, hoje, completa 478 anos. PARABÉNS PARA MINHA CIDADE LINDA.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita.