Eu posso e devo fazer a minha parte





Vestido criado com sacos plásticos. Exposto no Museu da Biosfera,
em Montreal - Canadá


Antes éramos bombardeados com informações que prenunciavam o que poderia acontecer se não cuidássemos bem do nosso planeta: problemas na camada de Ozônio, aquecimento global, extinção de alguns mamíferos e por aí vai.

Agora já é fato: estações climáticas alteradas, secas atingindo regiões antes chuvosas, catástrofes naturais, vulcões adormecidos entrando em erupção, enchentes devastadoras, escassez de água e racionamento de energia, tromba d'água que mais parecia um tufão em Recife...

Às vezes até parece que o mundo está de cabeça para baixo ou, para quem acredita (que não é o meu caso), que estamos nos fins dos tempos...

Um pouco assustados, é bem verdade, assistimos a natureza responder à nossa falta de compromisso com o meio ambiente por anos a fio. Foram os pequenos gestos que deixamos de fazer que impactaram nessa realidade. Mas, ainda podemos tomar atitudes simples que devem começar dentro de nossa casa, como: o destino consciente do nosso lixo, a economia da água, gás e eletricidade, o tratamento dos esgotos, a preservação das árvores e o consumo de mercadorias produzidas através de matérias-primas renováveis.

Se antes a nossa preocupação era: “Qual o mundo que vamos deixar para os nossos netos?” Hoje devemos responder “Como queremos viver daqui a cinco anos?”.




Representação do quanto descartamos por ano de material eletrônico e plástico.
Exposto no Museu da Biosfera, em Montreal - Canadá.


Fazia tempo em que observava quanto de plástico jogo na lixeira quando estou na cozinha, ou digamos assim, em casa. Na maior parte das vezes são embalagens. Sempre tive dó de jogar embalagens no lixo, porque algumas são tão bonitas e criativas. No edifício onde moro apenas há uma preocupação expressa no descarte do óleo de cozinha para reciclagem, então resolvi fazer um pouco mais na minha casa: comprei uma lixeira específica e todo plástico descartado a cada 10 dias, é fechado e depositado na estação de reciclagem do supermercado Pão de Açúcar, do meu bairro.

















Estação de reciclagem do supermercado Pão de Açúcar



Sei que sozinha não vou salvar o planeta, mas quero contribuir com minha parte. É um trabalho de formiguinha. Você também pode fazer o mesmo ou escolher algo que, pela logística de sua casa, permita ajudar o nosso planeta.


Afinal, será que ainda vamos continuar sendo reféns de nós mesmos?





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita.