Eu mereço e por que não?







Todos os dias nós temos um caminhão de obrigações a realizar. Essa é uma realidade que atinge todos, quase sem exceção. Sabemos, também, o quanto não é fácil nos desprendermos das rotinas que são impostas, sobretudo, numa sociedade de consumo, de competitividade e de superficialidades de todos os matizes. E na corrida pela sobrevivência, até as crianças parecem já nascerem multitarefadas.

Embora tudo pareça se mover pela força do dinheiro e do ter, todos nós temos algo na vida que não abrimos mão, ou seja, que escolhemos não deixar de fazer. E se tudo é relativo, como defendeu Albert Einstein no século 20, levando a tese para o dinheiro, o ser caro ou barato dependerá de quem não quer se privar ou abdicar de algo. E nesse aspecto está o lazer, a saúde do corpo, a qualidade de vida, o visual, a satisfação pessoal e profissional. É a teoria do eu mereço e por que não? 


"Não precisa de dinheiro pra se ouvir meu canto
Eu sou canário do reino e canto em qualquer lugar
[...]
Em qualquer rua de qualquer cidade
Em qualquer praça de qualquer país
Levo o meu canto puro e verdadeiro
Eu quero que o mundo inteiro se sinta feliz!"

(Canário do reino, de Tim Maia)

Perguntamos para 10 (dez) pessoas:


Com ou sem dinheiro, o que você não abre mão de fazer?


“Com ou sem dinheiro, eu não deixo de visitar minha mãe que mora em Aracaju”. De Recife para Aracaju são quase 500 quilômetros, mas vou de carro e coloco a gasolina no cartão de crédito. Faço isso duas vezes por ano, em dezembro por causa do Natal e em abril.
                                (Lena Menezes - 26 anos - vendedora)

"Arrumo meu cabelo toda semana. Não deixo de escová-lo num salão."
(Cecília Arruda - 27 anos - esteticista)

“Eu não deixo de ir à praia, pelo menos duas vezes por mês. Sempre vou para alguma praia distante da Região Metropolitana do Recife.”
(Hugo Vinicius – 22 anos – técnico de informática)



“Não consigo parar de comer doces e guloseimas. Então, quando vejo uma torta apetitosa, mesmo sem dinheiro, compro e coloco no cartão de crédito a dívida.  E isso pode ser em qualquer dia da semana.
(Não quis se identificar – 48 anos – funcionária pública)

"Tenho vitiligo e não abro mão do meu protetor solar, que é caríssimo. Também não deixo de comprar meu hidratante e passar no corpo todos os dias."
(Carla Lima - 50 anos - enfermeira)



"Todo o final de semana eu me divirto. Mesmo sem dinheiro, não deixo de ir para um barzinho com as amigas e coloco tudo no cartão de crédito."
(Cleytiane Cardoso - 28 anos - promotora de vendas)

"As pessoas que dizem que com ou sem dinheiro não abrem mão do lazer ou de fazer algo material, na verdade, estão rolando a dívida porque um dia terá que pagá-la. O que eu não deixo de fazer com ou sem dinheiro é ajudar ao próximo, porque até com uma palavra, uma ação a gente ajuda."
(Roberto Quirino - 65 anos - cinegrafista)

"Geralmente, eu não deixo de me divertir mesmo se eu estiver sem dinheiro. Toda semana eu vou para a pelada com meus amigos, sempre aos domingo pela manhã. Eu não abro mão. E lá tomo minha cervejinha."
(Jacil Nascimento - 22 anos - orientador de estacionamento)
Então, gente, as respostas sugerem que:

Nós merecemos alimentar a nossa autoestima, sermos
independentes e adeptos às mudanças.

Nós merecemos cuidados, porque somos um dos seres mais
importantes do planeta.

Nós merecemos as alegrias e desfrutarmos a vida intensamente.

Nós merecemos mudar o que nos faz sofrer.

Nós merecemos que a nossa casa seja um ninho de paz.


Nós merecemos ousar e transformar. 

Nós merecemos o brigadeiro da festa.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita.