Você é o que compartilha










Nunca foi tão fácil se comunicar. Há cinco anos, quando o cantor Michael Jackson morreu, recebi uma ligação da minha filha Amanda Carolina contando o fato. Os jornais oficiais ainda não tinham divulgado a notícia porque precisavam apurar a veracidade da informação. Minha filha tinha lido o fato numa rede social. Do telefonema dela até ver a notícia estampada nas grandes emissoras de televisão, passou pouco mais de uma hora.

Mas, a velocidade que a tecnologia permite a comunicação não isenta a responsabilidade de quem transmite uma informação. Se estivermos usando as redes sociais como  twitter, facebook, whatApp, emails, blogs entre outros, devemos ter muito cuidado quando formos teclar.

Divulgar conteúdo requer, no mínimo, boa educação. Conteúdos que denigrem, difamam, agridem, incitam comportamentos preconceitos e violentos, mensagens com palavras de baixo calão devem ser evitados, sobretudo, se forem enviados para uma coletividade. Já vi blogueira chamar outra de imbecil no facebook, quando seus desafetos poderiam ser tratados em particular.

Se pretendermos que a mensagem atinja apenas uma pessoa, poderemos enviar apenas para aquele receptor. Todas as redes sociais permitem mensagens individualizadas. 



Responder a algumas perguntinhas básicas poderá nos ajudar:

Para quem estou enviando a mensagem?

Qual o meu objetivo ao enviar esse conteúdo?

Minha mensagem tem clareza e não irá suscitar dúvidas?


"Perco um amigo, mas não perco a piada" - frase infeliz, usada por muitas que pessoas que são munidas de grande senso de humor e menos senso crítico. Geralmente, quando a mensagem vem acompanhada desta frase é porque poderá deixar o receptor constrangido ou ridicularizado, momentaneamente. Mas, se a pessoa tiver muita intimidade e quiser, realmente, arriscar uma amizade, continuará enviando conteúdos com gozações, deboches, ironias e outras brincadeirinhas de mau gosto. Já pensou se seu amigo(a) acordou com um problema íntimo ou familiar? Que desastre, não é verdade? 

Então, a dica é não enviar por escrito aquilo que você não diria pessoalmente. Além disso, as frases (mesmo as bem-humoradas) podem ser mal interpretadas, dependendo do estado de espírito de quem recebe. Considerando que a pessoa não está próxima, as brincadeiras devem ir acompanhadas com sinais que representem a emoção como carinhas alegres, letrinhas, símbolos entre outros.

Se a tecnologia vem conseguindo integrar maior número de pessoas, manter relacionamentos saudáveis ainda está assentado nos pilares que aprendemos desde a infância: educação e boas maneiras.



"As palavras são tecidas a partir de uma multidão
 de fios ideológicos e servem de trama a todas
 as relações sociais em todos os domínios."
(Mikhail Bakhtin, 1895-1975)



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita.