As pernas da serpente



























Na Antiguidade, havia uma cidade chinesa de nome Chu.

Um dia, após os rituais que o povo chinês fazia aos seus antepassados utilizando-se também de bebida, um homem resolveu presentear seus empregados com uma garrafa de aguardente que havia sobrado.

Mas, entre os empregados, houve quem dissesse:

- Somos tantos e apenas uma garrafa de bebida? Não dá para matar a sede de todos. Acho melhor a garrafa ficar com apenas um de nós.

Todos concordaram com a proposta. Mas, quem ficaria com a garrafa?

Todos se entreolharam e calaram. Mas, um dos empregados propôs:

- Cada um de nós poderia desenhar uma serpente no chão. Quem acabar primeiro fica com a garrafa.

Todos aceitaram, imediatamente.

Cada um pegou um pauzinho (hashi), esses que se usa para comer e começaram a desenhar, apressadamente.

Depois de algum tempo, um dos criados acabou o desenho e agarrou a garrafa. Mas, vendo que seus companheiros não tinham terminado e alguns estavam ainda desenhando a cabeça da serpente, pensou:

- Ainda dar tempo de colocar algumas pernas na serpente que desenhei.
E começou a retocar seu desenho. Mas, enquanto fazia isso, outro companheiro acabou o desenho e puxou a garrafa de sua mão. E disse:

- As serpentes não têm pernas! Se tivessem, não seriam serpentes.

Dizendo isso, pegou a garrafa e bebeu o líquido de uma só vez. Todos ficaram surpresos.

E você? Também costuma colocar pernas na serpente?

Para você a vida está sempre mais ou menos? Vive sempre reclamando? O outro vive sempre melhor do que você?

Quantas vezes a vida está, razoavelmente, atendendo seus anseios e necessidades e você já colocou tudo a perder com queixas, reclamações e azedumes?

Então, cuidado! Você pode ficar sem a “garrafa” e se arrepender depois.

Surpreenda-se. Repense suas atitudes e reações. O final de ano é uma época bem propícia à autoanálise.

Boa sorte e um excelente início de semana.







Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita.