Há pessoas aglutinadoras, outras não.






















"Nosso quintal deixa a hera venenosa feliz. Aprendi isso da pior maneira. Mesmo sendo cuidadoso, tive contato com a planta e acabei ficando com brotoejas horríveis. A hera venenosa se parece com as plantas inofensivas e fica no meio de algumas bem bonitas.

Uma mulher que trabalhava no jardim não conseguia descobrir porque apareciam heras venenosas sempre que podava suas roseiras. Mais tarde, encontrou uma trepadeira de hera venenosa tirando vantagem do cuidado amoroso que ela dava à sua roseira."

Você já percebeu que algumas pessoas são como plantas tóxicas? Elas parecem inofensivas e se misturam com as pessoas que, como rosas, são cheirosas e lindas.  Elas se utilizam, em qualquer lugar e tempo, de ambientes e momentos favoráveis para tirar vantagem em tudo, porque sempre estão envolvidas com objetivos egoístas. Semelhante a uma hera venenosa, entre as rosas, essas pessoas quase sempre são invejosas, causam estragos emocionais, psicológicos e até físicos. As pessoas que agem dessa maneira precisam reavaliar suas atitudes e entender que, no mundo, existem espaços para todos. Mas, o fato é que cada um exala seu perfume e demonstra sua essência.

Semelhante a uma árvore e plantas somos todos nós. Portanto, para conhecermos se, no nosso jardim, as heras estão crescidas devemos observar os frutos, ou seja, o comportamento. Há pessoas que só conseguem ver o lado ruim da situação,  sugam as energias positivas, são eternas vítimas, julgam com facilidade, observam apenas os defeitos e, geralmente, são vingativas. Elas pouco ou quase nada percebem que, de tão negativas, afastam as demais. 

No entanto, existem muitas outras pessoas que são aglutinadoras e positivas. Elas são as rosas dos jardins. E os jardins estão em todos os lugares. Portanto, em qualquer tempo, se começarem a surgir às críticas, é sempre aconselhável dar uma paradinha e reavaliar as atitudes. Pense nisso!

Um início de semana maravilhoso para você.




Fonte de consulta:  Nosso andar diário, edição 2012.






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita.