A beleza está também nos espinhos




Herdei de meus pais o gosto de cultivar plantas e considero o hábito uma delícia, um vício sem prejuízos. O contato com a natureza faz um bem enorme ao ser humano, mesmo que ela esteja, atualmente, mais restrita aos pequenos vasos colocados nas varandas dos apartamentos ou nas salas de estar. São vasinhos que traduzem vida e cada folhinha brotando é a resposta da natureza  ao cuidado e carinho. Gosto do verde, das plantas, das flores e dos cactos. Quando eu era adolescente cultivei a espécie e cheguei a 17 tipos. Aos poucos, a coleção de cactos se foi quando entrei na universidade, porque minhas atenções ficaram voltadas, exclusivamente, para a vida acadêmica. Mas, nunca deixei de ficar em contato com as plantas, já que na minha casa não faltaram as samambaias, palmeiras, avencas, roseiras, comigo-ninguém-pode, jiboias...

Com saudade dos cactos, de uns tempos pra cá, adquiri algumas mudas das suculentas. Fofinhas! Belas! Apesar de os cactos terem de ser manuseados com luvas apropriadas por causa de seus espinhos (quem não os tem?). Fiz cada cacto dividir seu espaço com outras suculentas (não é assim a vida?). Suculentas são plantas que têm folhas ou caules carnudos que podem armazenar água, sendo uma espécie  encontrada em áreas secas e desérticas. O cacto é uma suculenta, mas há tipos que são mais delicados e, só em manusearmos, caem suas folhinhas. Muita água, nem pensar, porque elas apodrecem.








Algumas dicas:

As suculentas são plantas de luz. Portanto, precisam de janelas e sol, com o cuidado de sempre estarmos rodando o vasinho para que elas não fiquem nas mesmas posições exposta à luz forte. A medida faz com que elas cresçam uniformes.





No inverno, não devemos deixá-las expostas às chuvas, tampouco em lugar com aquecedor. 





Devemos observar se os vasinhos estão cheios de raízes. Se estiverem, é hora de mudarmos os cactos para vasos maiores. Mas, se quisermos fazer mudas temos que retirar, com cuidado para não ferir as mãos, os filhotes que estarão em formato de caules. Para plantarmos é preciso apenas uma mistura de terra e areia.

Como as suculentas absorvem água, para regarmos devemos ficar atentos se a camada superior da terra já está sequinha porque só assim evitaremos encharcá-las. Usar um regador de bico evita que a água salpique muito nas folhas e no caule. 






Uma dica é colocarmos pedrinhas ao seu redor. Elas dão um charme e oferecem nutrientes, segundo alguns botânicos.








2 comentários:

  1. olá, que espécie de cactos é essa sua, que aparece na segunda foto o terceiro a direita? tenho uma igual e gostaria de saber qual espécie ela é. :3 beijinhos :*

    ResponderExcluir
  2. Oi Juliana, eu não sei o nome. Infelizmente. Beijos.

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita.