Parabéns Adão






Hoje é o Dia do Homem.

Mas, será que eles precisam de Dia?

Venhamos e convenhamos, qual o rei que precisa de Dia?

Pelo contrário, ele reina soberano todos os dias.

Afinal, não é este o sentimento que anima o macho da espécie humana?

Acreditar ser único na face da Terra ou o ser mais importante do universo.

Alguém aí tem dúvida que eles pensam assim? Claro que não!

Mas, se a maioria de nós deixa que eles se enganem, por outro lado, não conseguimos viver sem eles. E eles... sem nós.

E não vamos aqui abrir um debate sobre as nossas diferenças, já que são muitas e vêm desde a época de Adão e Eva.

Enquanto Adão vivia no paraíso, conformado com a pasmaceira do Jardim do Éden, Eva foi em busca de novas experiências, da inquietação que faz progredir, da movimentação, de olhar o desconhecido, mesmo colocando em risco a sua zona de conforto e o seu paraíso. E pensando bem, qual a mulher que vive num paraíso? Ela está sempre em busca de...(responda para você mesma) algo. Eternamente inconformada, Eva encontra a serpente para alerta que nem tudo transcorria tão bem, caso contrário, a tentação passaria, seria inócua.

 


Mas, o certo é que, na hora da expulsão, o castigo chegou para os dois e a culpa foi dividida. Porque é sempre assim, a compleição está em ambos. E o Todo Poderoso deu um adeus para o casal porque nem Adão, nem Eva estavam totalmente certos e isentos. E lá se foram os dois à luta para reconquistar a sua felicidade, mas com trabalho e esforço. E, diga-se de passagem, penso que eles acharam ótimo, porque viver sem emoção o tempo todo é para quem celebra a estagnação e não quer viver.

Mas, se Adão era dotado da força física, Eva era a essência, o coração, o amor. Como para sobreviver, expulsos do paraíso, foi preciso Adão ir à caça e driblar as intempéries, ele começou a acreditar ser superior. Pobre Adão! De tão perfeito, atingiu a imperfeição. Jamais pensou sequer que, em contraponto à sua masculinidade e força bruta, estaria também a sua incapacidade de sentir e suportar a dor. De chorar de dor e rir de alegria, ao mesmo tempo, simplesmente por ser instrumento da criação para parir outro ser.  E talvez, por essa incapacidade de gerenciar os sentimentos sem, contudo, perder a essência, Adão começou a subjugar Eva, a tal ponto que foi preciso as Evas destemidas queimarem seus sutiãs e decretarem, anos depois, que era fundamental manter a igualdade nos direitos e deveres para que eles pudessem conviver em harmônia.

E a revolução dos costumes chegava mais uma vez por Eva, corajosa e guerreira.

Mas, o que diriam as Evas sem os Adãos? Certamente, que somos metade. E pela necessidade de que haja sempre um todo, uma unidade, conclui-se que nenhuma metade sobrevive.
  
Desse modo, hoje comemoramos o Adão porque sem eles, a nossa vida não teria o oposto, condição tão vital para o equilíbrio da vida. 

Bom início de semana.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita.