Encare 2013 e a vida




Sara Pereira - salto com


Veja!
Não diga que a canção
Está perdida
Tenha fé em Deus
Tenha fé na vida
Tente outra vez!...
Beba! (Beba!)
Pois a água viva
Ainda tá na fonte
(Tente outra vez!)
Você tem dois pés
Para cruzar a ponte
Nada acabou!
Não! Não! Não!...
(Raul Seixas, música "Tente outra vez)


Final de ano tem gostinho de balanço, de repensar, de recomeço. Fazer um balanço do que foi o ano é sempre fácil, apontar erros e acertos também. Mas, repensar metas e objetivos e recomeçar são sempre mais difíceis. Porque o repensar pressupõe ter uma nova visão dos fatos, novos ângulos e construir novos conceitos ou reconstruir os velhos. Recomeço, às vezes exige muita persistência, determinação e foco nos objetivos. Mas, você sabia que é assim que muitos atletas que foram campeões, ou estão no caminho para ser, se comportam? É verdade. E temos muito que aprender com eles. Nem sempre carreira de atleta é marcada por flores, mas de alguns espinhos indesejados, porque além das horas de treinamento diário e muita dedicação, a maioria deles tem uma companhia que todos nós corremos dela – a dor. Isso mesmo, a dor física que, ao invés de tirar o ânimo, torna-se um motor propulsor para superar os desafios.


Oh! Oh! Oh! Oh!
Tente!
Levante sua mão sedenta
E recomece a andar
Não pense
Que a cabeça agüenta
Se você parar
Não! Não! Não!
Não! Não! Não!...

(Raul Seixas, música "Tente outra vez)



Fabíola Molina


A nadadora Fabíola Molina, campeã em 2011 nos 200m costas do Troféu José Finkel de Natação em Belo Horizonte – MG, quando estava nas seletivas das Olimpíadas de Sydney, em 2000, amargou uma derrota depois de ter dedicado anos se preparando  para o momento. A diferença foi de meio segundo para adversária. Ela contou numa entrevista, anos mais tarde, que depois de ter ficado desnorteada em relação ao esporte, aprendeu a pensar positivo e acreditar na vitória e nunca na derrota. São lições para a nossa vida. O pensamento é a força que temos para realizar ou destruir.

  
Toda a vitória é fruto de esforços diários. Mas, geralmente, costumamos avaliar apenas resultados. “Viu, fulano, tão novo e já ocupou o cargo de diretor?”. Com raras exceções, cada pessoa sabe qual foi o empenho pessoal para a conquista.  A comentarista esportiva Mariana Brochado, na época nadadora e recordista sul-americana no revezamento 4 x 200m livre nas Olimpíadas de Atenas, disse em 2004 que a cada treino ela colocava metas intermediárias para alcançar e que a vitória foi a soma das conquistas diárias. Podemos não conseguir tudo num espaço rápido de tempo, mas poderemos contruir as conquistas, diariamente.

Há uma voz que canta
Uma voz que dança
Uma voz que gira
(Gira!)
Bailando no ar
Uh! Uh! Uh!...
Queira! (Queira!)
Basta ser sincero
E desejar profundo
Você será capaz
De sacudir o mundo
Vai!
Tente outra vez!
Humrum!...

(Raul Seixas, música "Tente outra vez)
  
Preocuparmo-nos conosco. Nem sempre o que é bom para outros é bom para nós. As metas podem até serem coletivas, mas os sonhos são individuais. Trazer uma medalha para o Brasil é o desejo de todos os atletas, mas acima de tudo é uma conquista pessoal sentir-se vencedor - foi que deixou transparecer, há alguns anos e depois de uma competição, a triatleta Fernanda Keller, incluída em cinco edições do Guiness Book devido aos índices alcançados nos triatlons.


Fernanda Keller


Podemos até pensar de forma semelhante, mas o fato é que todos nós somos diferentes. Então, façamos a diferença. Cada um de nós tem o “nosso melhor”, vamos investir nele e pensar nos detalhes. Quando a jogadora de basquete Janeth foi jogar num time americano, avaliou que lá só fazer cesta não daria a satisfação pessoal, porque todas as jogadoras americanas eram excelentes. Janeth, observou onde estava a deficiência da equipe e se destacou na marcação das adversárias.



Rodrigo Figueiredo, para-atleta - modalidade canoagem.


Driblar os adversários imprevistos,  como a doença ou qualquer outro problema físico ou emocional, e não desistir dos objetivos. Quando o jogador de futebol Ronaldo, o fenômeno, depois de sofrer várias rupturas dos tendões, tanto no joelho esquerdo como no direito, em anos alternados, poderia ter desistido da carreira e jamais voltar a jogar. Já estava rico. Mas, ainda foi campeão paulista e da Copa do Brasil, em 2009, pelo Corinthians. Portanto, vamos superar os nossos limites.





Dizem que saber ouvir é uma arte, mas dar ouvidos a fofocas é imprudência. Certamente, você não agradará a todos, mas evitará comentários maldosos se estiver, totalmente, empenhado em realizar e trabalhar, ou seja, ocupado com suas metas e objetivos. Isso foi o que considerou a joqueta brasileira Josiane Gulart, depois de se dedicar por muitos anos ao turfe.  Entretanto, saiba ouvir quem você confia, realmente, é experiente e quer seu bem. É necessário aceitarmos as críticas construtivas e nos abrirmos para o novo.





E agora, na tentativa de garantir o sucesso da Seleção Brasileira na Copa de 2014, a CBF – Confederação Brasileira de Futebol escalou uma equipe técnica que inclue profissionais experientes no comando da Canarinha, como treinador Luiz Felipe Scolari e, para coordenar tecnicamente à equipe, o pentacampeão de 94, Carlos Alberto Parreira, eleito também, em 2005, o melhor técnico de futebol pela Federação Internacional de História e Estatística de Futebol. Parreira disse este ano, já como empresário e consultor de empresas,  que o grande acerto de sua carreira, apesar de nunca ter sido jogador de futebol mas ter participado de oito copas de mundo, foi ter decidido desde os 14 anos de idade o que queria ser na vida. Iniciou como preparador físico e depois passou a treinador.  E conceituou “O sucesso é resultado de trabalho, muito esforço, muita luta e fará parte de sua história, do seu passado. Não há sucesso definitivo. Você sempre terá sempre que buscar o melhor, se aprimorar. As pessoas vão respeitar quem é correto, honesto e dedicado” – lição de mestre.


Tente! (Tente!)
E não diga
Que a vitória está perdida
Se é de batalhas
Que se vive a vida
Han!
Tente outra vez!...
(Raul Seixas, música "Tente outra vez)


Bom início de semana para você.

         


















Um comentário:

  1. Lindo texto, nos faz parar e pensar... também, com esta música de fundo...
    Bjs, Sandra

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita.