Só mestres





Imagine reunir num só lugar as obras dos pintores Francisco Brennand, Cícero Dias, Wellington Virgolino, Vicente do Rego Monteiro, Lula Cardoso Ayres, João Câmara, Reynaldo Fonseca e Joaquim do Rego Monteiro ? Seria o paraíso das artes plásticas, não é verdade?
Pelo convite catálogo, belíssimo como sempre, que recebi de Seu Ranulpho, posso afirmar que esse paraíso existe e será aberto hoje, às 19 horas, na sua Galeria, localizada no Bairro do Recife, mais precisamente, à Rua do Bom Jesus, famosíssima pelos seus casarios e atrativos turísticos.
Os artistas, todos pernambucanos à exceção de João Câmara, que é paraibano, dispensam comentários porque são mais que reconhecidos e consagrados pela crítica mundial. Seus quadros misturam formas e cores, sob uma temática do cotidiano, deixando-nos uma vontade irresistível de ter em cada canto de nossa casa, muitas dessas obras.
Descobertas é o título dado, pelo marchand Carlos Ranulpho, à exposição dos eternos mestres da pintura. Imperdível!



Tela de Cícero Dias, sem título, óleo sobre tela, assinada, sem data, medindo 54 x 65 cm.
Para aqueles que não conhecem Recife, informamos que Cícero Dias, depois de morar muitos anos em Paris e retornando ao Recife, pintou a tela “Eu vi o mundo e ele começava em Recife”. A tela está reproduzida no piso da Praça do Marco Zero, da cidade.



Gosto demais das telas de Virgolino, com suas formas arredondadas e cores vibrantes. Se estivesse vivo, ele teria completado 83 anos, no dia 19/09, por coincidência, dia do aniversário
do meu filho Raphael Felipe.
A tela acima tem o título “O violinista ou a música de sempre”.
Óleo sobre tela colada em duratex, assinada e datada de 1976, medindo 45 x 80 cm.



                   Arte de Reynaldo Fonseca, sem título. Óleo sobre duratex,
                      assinada e datada de 1991, medindo 60 x 50 cm.


 Casal, Diptíco, óleo sobre tela colada em duratex, assinada,
década de 70, medindo 50 x 82 cm. Do pintor João Câmara.




Lula Cardoso Ayres, que se estivesse vivo faria amanhã – 26/09, 102 anos e  começou a estudar pintura aos 12, pintou a óleo essa tela medindo 100 x 65 cm, datada de 1970. Sua obra faz parte de muitos museus brasileiros e de coleções particulares naEuropa, América do Norte e Sul.




Outra tela do imortal Cícero Dias. Tela a óleo, assinada, sem data, medindo 65 x 54 cm.




Joaquim é irmão de Vicente do Rego Monteiro. A tela “Um porto da França” foi pintada sobre compensado, a óleo, assinada e datada de 1923, medindo 32 x 41 cm.

*****

Descobertas
De 25/09 a 11/10/2012
 Segunda à sexta-feira, das 10 às 18 horas.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita.