O talento no couro


Hoje, diferente das demais segundas-feiras, onde sempre iniciamos a semana com uma mensagem, o Tudo na nécessaire abre espaço para reverenciar aquele que usando as mãos, e alguns até outros membros como os pés, reúne talento, habilidade, criatividade e amor para fazer da matéria-prima escolhida, uma verdadeira obra de arte.  Estamos falando do artesão, ao mesmo tempo em que parabenizamos pela passagem do seu dia – 19 de março.




Poderíamos citar aqui diversos tipos de artesanato que com sua beleza decoram a nossa casa. Mas, no tempo em que as mercadorias vindas da China enchem às lojas de todos os cantos do país, com um preço bastante competitivo e fruto de uma larga escala de produção, o Tudo na nécessaire foi em busca de quem sabe fazer tão bem e com qualidade, um dos acessórios – se não for o acessório mais cobiçado entre as mulheres de todas as idades: a bolsa.  Ah! A bolsa, essa companheira de todas as horas e eterna aliada. Nela, guardamos até o que Deus dúvida, deixando aos homens o desafio de responder à pergunta: O que elas tanto guardam e pra que tantas bolsas? 

Conheci Goreti Jorge pelos idos dos anos 90, num evento que iria revolucionar a relação do cliente com o artesão, a Feira Nacional de Negócios do Artesanato – Fenearte, considerada a maior feira do gênero na América Latina.  Seu stand ainda hoje é sonho de consumo de todas as mortais: bolsas em diversos tipos de couro, super bem divididas, com acabamento impecável, modelos inovadores e o melhor: não teremos chances de encontrar meio mundo de gente usando igual. Porque Goreti confecciona poucas peças de cada coleção, oferecendo ao cliente certa exclusividade. É ou não um sonho real?




 O Tudo na nécessaire passou a tarde do sábado conversando com a artesã para saber como tudo começou e qual o segredo do sucesso da Uber Moda em Couro.

Tudo na nécessaire: O que levou você a produção artesanal de bolsas em couro?
Goreti Jorge: Faço uma pequena retrospectiva para dizer o que me levou a fazer do artesanato um ofício, antes de chegar às bolsas. Pelas contingências da vida, o nascimento do meu primeiro filho fez com que eu deixasse meu trabalho como técnica em refrigeração, numa grande empresa, para me dedicar à tarefa de educá-lo. Na festa de seu primeiro aninho, fiz toda a decoração dos painéis, da caixa de bolo às sacolinhas e lembrancinhas. Ficou tão bonito que tive encomendas para outras festas. Também pudera, filha de mãe costureira de alta costura e pai marceneiro, onde ele próprio desenhava suas peças, não é à toa que sempre tive facilidade em criar. Inclusive, quando eu era criança fazia roupas para a boneca Susi utilizando moldes de revistas especializadas. Depois das festas, surgiu a oportunidade de confeccionar brindes para as escolas. E o primeiro foi uma nécessaire, em tecido, para o Dia das Mães. De lá pra cá, não parei mais. A cada ano, havia uma expectativa das mães em torno do brinde, já que eu sempre mexia com a vaidade feminina. Com a fabricação de nécessaires, conheci o couro chamois, que tem um bom caimento, é fácil de trabalhar, sendo uma excelente matéria-prima para bolsas e acessórios.



Tudo na nécessaire: Então, o couro para você foi uma grande descoberta?
Goreti Jorge: Digamos que sim. No auge do Plano Collor, onde as moedas estavam valorizadas, resolvi confeccionar portas-moedas que foram um sucesso em lojas esportivas e de grife num grande shopping do Recife. Investi na compra de maquinário e ampliei a carteira de clientes, incluindo empresas em Pernambuco e fora do estado.

Tudo na nécessaire: Como você define uma coleção?
Goreti Jorge: Acompanho as tendências da moda e lanço uma coleção, anualmente, visando a Fenearte e sua rodada de negócios. Defino a modelagem, junto com meu marido Edson Fernando Pereira, engenheiro, desenhista-projetista. Depois escolho o tipo de couro que será utilizado. Esta última coleção foi em couro de avestruz.



Tudo na nécessaire: Quantas peças a Uber Moda em Couro lança por coleção?
Goreti Jorge: Como preservo qualidade e exclusividade, são 20 peças por coleção e cada modelo tem dois exemplares.

Tudo na nécessaire: Você tem na coleção algumas bolsas masculinas...
Goreti Jorge: Sim. O meu contato com o público nas exposições fez com que eu atendesse também a reivindicação do público masculino, produzindo sobretudo, pastas e mochilas que comportam muito bem um notebook. 



Tudo na nécessaire: É fácil vender para homens?
Goreti Jorge: Risos. Quando eles vêm acompanhados da mulher, sim. Mas, quando chegam sozinhos são indecisos e muitas vezes deixam a compra para depois. 

Tudo na nécessaire: E a mulher?
Goreti Jorge: Se pudesse, ela levava o stand todo. Risos. Como minhas bolsas agradam, geralmente, mulheres executivas ou que trabalham, elas já tem um gosto definido, sabem o que procuram e são decididas. Sim, uma curiosidade, os homossexuais também. Eles compram rapidamente e sequer pechincham. 

Tudo na nécessaire: Como você vê a situação do artesão, atualmente?
Goreti Jorge: Ampliando sua profissionalização como respostas às oportunidades que o governo do estado vem lhe oferecendo nos últimos anos, através das grandes feiras como a Fenearte e Fenahall. Negociar com lojistas e diretamente com os clientes faz aumentar a produção e, consequentemente, a renda.



Tudo na nécessaire: E os planos para o futuro?
Goreti Jorge: Como a Uber Moda já investe também em acessórios como bijuterias e roupas customizadas em couro, deverei partir para o lançamento de uma loja virtual. Sei que como isso a demanda pode aumentar e terei que investir em mão de obra especializada, o que em certos casos não é fácil de encontrar.

Tudo na nécessaire: Podemos divulgar seu endereço?
Goreti Jorge: Claro. Mas, como minha comercialização atende às feiras, os produtos que tenho em casa e que não são muitos, só podem ser adquiridos à vista.



Uber Moda em Couro
Rua André de Albuquerque, n. 345 - Barro
 (ao lado da Igreja do Barro) - Fone: (81) 3455-1993


Um comentário:

  1. Artesão, parabéns pelo seu dia.

    Parabéns pela lembrança e pela homenagem do Tudo na nécessairepara esses guerreiros iluminados que transformam objetos e materiais comuns em obras primas...

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita.