Bolinhos do tempo, de goma...





http://tudosobremeubb.blogspot.com/2011/04/cantigas-de-roda-personalizadas.html


Bolinhos de goma me levam à infância, um pedaço do tempo em que não nos preocupávamos com a quantidade de açúcar contida nos alimentos e nem com a obesidade infantil ou taxa de glicose. Comíamos algodão doce, onde cada mordida fazia com que ele colasse também na nossa bochecha. Nunca gostei daqueles cor de rosa, mas dos branquinhos feitos na hora pelo vendedor que entrava na rua gritando “algodãaaaaaaaao-doooooce” e todos corriam para dentro de casa para pedir dinheiro aos pais e comprá-lo. Ver o algodão sendo enrolado no palito e com rapidez atraía a atenção da criançada. “Come logo, senão, murcha”, diziam os adultos.

E os pirulitos, aqueles enoooooormes, os alfinins? Comprávamos por pura mania de grandeza, porque duvido que alguma criança um dia tenha se lambuzado até o fim com ele. As pipocas-doces eram sempre as mais caras e tinham aquelas também em formato de arroz. 
  


http://estrelinhasdepoder.blogspot.com/2011/04/vamos-brincar-de-pular-corda.html


Gente, quem lembra do "japonêeeeeeeeeees? Olha o japonêeeeeeeeeees!" Era assim que o vendedor gritava chamando a atenção de todos. Com um tabuleiro na cabeça, apoiado numa roldana de tecido, ele vendia doce quebra-queixo de vários sabores: batata-doce, goiaba, abacaxi, amendoim, castanha-de-caju - estes dois últimos eram sempre alguns centavos mais caros e, lógico, muito mais desejados.

Tinham as cocadas, as branquinhas e pretinhas, ou seja, as de coco queimado e aquelas que pareciam um arroz doce. Tudo era tão gostoso e inocente. E as calorias eram gastas nas brincadeiras de roda, esconde-esconde, pega-pegou, amarelinha e pular corda. Os meninos empinavam papagaios ou pipas, jogavam bola de gude e pelada. Mas, um jogo unia meninos e meninas, era o queimado. Suávamos muito e... estudávamos.


Eu sou pobre, pobre, pobre
De marré, marré, marré.
Eu sou pobre, pobre, pobre
De marré deci.

Eu sou rica, rica, rica,
De marré, marré, marré.
Eu sou rica, rica, rica,
De marré deci.


Todos nós queríamos ser ricos na grande brincadeira. Mas, éramos pobres, dignos e felizes.

E agora, vem Dona Zeza e me dá uns bolinhos de goma e a receita para ser compartilhada com você. Fiz uma viagem no tempo...




Vamos à receita:

Ingredientes:

1 kg de goma de tapioca
½ kg de açúcar
300 gramas de margarina, ou 1 ½ tablete
2 gemas
3 colheres de sopa de aveia ou chocolate (opcional)

Modo de fazer:

Misture todos os ingredientes e amasse com as mãos até ficar macio, ao ponto de enrolar e fazer os bolinhos de goma. Unte a fôrma, no formato de tabuleiro e organize os bolinhos.  Você também pode usar a criatividade e modelar a goma em outros formatos. Asse em forno médio.

 Hummmmmmmmmmmmm delícia!

Podem ser acompanhados de um cafezinho ou chá no final da tarde.

Um ótimo final de semana.


2 comentários:

  1. E quando o algodão doce grudava no cabelo da colega ou do irmão? Era uma farra! Eu gostava do doce "japonês" sabor batata-doce e coco. Por que será q esse doce tinha o nome de japonês? É uma receita tão nordestinha! Mistéééério! rsrs

    ResponderExcluir
  2. Não sei porque o nome "doce japonês". Se descobrir, avisa.

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita.