Ceda ao desejo de seu filho


Toda criança quer ter um bichinho de estimação, apesar da resistência de muitos pais, principalmente, nos dias atuais quando os apartamentos estão cada vez menores. É comum os pediatras aconselharem ter um aquário para que se evite muitas doenças, entre elas alergias e micoses.




Um dos peixinhos ornamentais que despertam a atenção da garotada, inclusive do meu filho quando era criança, é a betta - um peixe tido como briguento, resistente e, portanto, solitário.  As crianças gostam de estimulo-la ao enfrentamento, colocando um espelho em frente ao aquário. A betta, então, começa a atacar. Não é um exercício que deve ser estimulado. 

Criar um betta exige alguns cuidados, segundo a professora do Departamento de Zoologia da Universidade do Anhembi-Morumbi, Luciana Camizotti.

Alimentação:


Como carnívora, a betta é um animal que exige uma ração com proteína que pode ser à base de microcrustáceos, encontradas facilmente nas lojas que vendem produtos para animais. Mas, também ele come larva. Segundo a estudante de biologia da Universidade Presbiteriana Mackenzie – Mariana Aprile, a betta é uma aliada no combate à dengue, segundo uma pesquisa da Universidade Federal do Ceará. Como o mosquito aedes aegypti vive como larva por um bom tempo, a betta pode devorá-lo.



Oxigênio:

Para felicidade dos pais, não é necessário comprar a bombinha de oxigênio. O peixinho consegue extrair oxigênio do ar porque tem um órgão complementar de respiração chamado labirinto. Não deixe seu filho fechar ou tampar o aquário porque a betta sempre sobe à superfície para buscar o ar que vai até o labirinto, já que seu aparelho respiratório fica na parte superior da cabeça. O aquário também deve ficar longe do sol.

Água:

Troque a cada 15 dias. O ideal é o aquário ter a capacidade mínima de 1 litro de água para evitar o acúmulo de amônia, uma substância que provoca desbotamento no peixinho. Por experiência própria, crie no seu filho o hábito de realizar essa troca. Caso contrário, vai sobrar para você, porque como a criança muda muito o foco de sua atenção, aos poucos o aquário não terá o mesmo encanto.

Comportamento:

Quando for adquirir a beta, lembre-se que a fêmea pode conviver bem com outras fêmeas da mesma espécie ou não. Mas, o macho pode atacar qualquer outro peixe que divida com ele o mesmo aquário.

Temperatura:

O peixinho se adapta muito bem a várias temperaturas. Não é necessário comprar o termostato. A temperatura ideal é 28ºC, mas pode viver entre 20ºC e 32ºC.

Viu com é fácil ceder ao pedido de seu filho? Boa sorte!






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita.