Ninguém viu, vou comer!


Ensinaram-me desde criança que um alimento que caiu no chão deve ser jogado fora e não ser ingerido. Quando cheguei próximo à adolescência, minha mãe tratou de dizer que qualquer roupa íntima também que escapa de nossas mãos deve ser lavada e não usada porque se torna uma fonte transmissora de doenças. 




Para o infectologista Marcos Vinicius, do Instituto Emílio Ribas, em São Paulo, “Comida do chão só pode ser ingerida se for lavada. Senão lixo”. Esta afirmação contraria o ditado popular “O que não mata engorda”. 



Para comprovar, os pesquisadores da Universidade de Clemson, nos Estados Unidos, fizeram uma experiência e jogaram um tipo de mortadela sobre a madeira, o azulejo e carpete. Nos primeiros instantes, 99% das bactérias dos pisos aderiram à comida.  Não pense você que o piso de sua casa, apesar de ser bastante higienizado não contém bactérias que podem ser transmissoras de doenças como hepatite A e gastroenterite. Portanto, cuidado! Mesmo os alimentos secos, como uma bolacha, podem não apresentar a sujeira quando cairem no chão, mas adquirem microorganismos, independente do tempo que passarem no piso, ou seja,  por apenas alguns segundos.

Deve-se evitar também soprar a comida para deixá-la na temperatura ideal a ser consumida. O sopro leva sempre microorganismos para o alimento.



Outro meio de prevenção de alguns tipos de bactérias e virus é lavar bem os alimentos antes de ingeri-los e as mãos para manuseá-los. Evitar comer carnes mal cozidas. Pode parecer bobagem o Tudo na nécessaire está falando sobre isso, parece tão óbvio. Mas, infelizmente, muitos de nós que fazem as refeições em restaurantes, mesmo os mais credenciados, podem estar na mira de adquirir alguns tipos de doença, devido ao descuido de quem prepara os alimentos.


Uma delas é a toxoplasmose, doença infecciosa, causada pelo protozoário – toxoplasma gondii, facilmente transmitido pelas fezes de animais, principalmente de gatos. A doença causa sintomas como dores na cervical, febre, cansaço, aumento dos gânglios, dor na garganta e até perda parcial ou total da visão se não houver o diagnóstico e tratamento adequado em tempo. O diagnóstico é realizado através de exames de sangue, por sorologia. Segundo o infectologista pernambucano José Tenório Cerqueira Filho, “Grande parte da população tem contato com o protozoário, mas  desconhece por ser assintomática.” Por isso é importante que no seu check-up anual, provavelmente em janeiro, você solicite ao médico a dosagem das imunoglobulinas (IgA, IgM, Igc). Previna-se. 

Fonte também de consulta: 
Revista Super Interessante, n. 300

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita.