A arte que transforma e encanta

Para quem gosta de artesanato, não importa o estilo, passear pela Feira Nacional de Negócios de Artesanato, a Fenearte, maior da América Latina, é um deleite. Cada corredor da feira traz uma novidade. São peças em cerâmica, madeira, tecido, porcelana, couro, alumínio, resina, papel e tantas outras matérias-primas que se transformam nas mãos dos artesões, expressão de seu talento. Sim, porque é necessário ter talento, habilidade e paixão para manusear pincéis, colas, lápis, tintas e outros instrumentos que marcarão a criatividade e a sensibilidade de cada artista.

Quem passeia pela feira tem oportunidade de conversar com muitos artesões e vê-los ainda talhando a sua arte na madeira, outros fazendo crochê ou pintando.


Num desses corredores, encontrei a alegre Tita Araújo, artesã pernambucana que desde 1996, começou a percorrer o caminho das artes até encontrar o seu próprio estilo, em São Paulo. “Apesar de ter feito o primeiro curso em cerâmica ainda em terras paulistas e para preencher o tempo dividido com a educação de meus três filhos, desejei ser conhecida pela minha identidade artística”, define-se a artesã. E Tita conseguiu... Quando ela retornou para Recife, ainda na década de 90, matriculou-se em vários cursos de pintura e fez de uma mesa antiga, herdada do sogro, a sua primeira experiência com pintura em madeira. Tita gostou tanto do resultado que partiu para aperfeiçoar a técnica, confeccionando suas primeiras peças para fins lucrativos.  Resolveu fazer um bazar, reuniu as amigas e foi um sucesso.




Tita tem trabalhos na Itália, Inglaterra, Suíça, Cabo Verde, Estados Unidos e orgulha-se também da fidelidade do público brasileiro. Quem visitar o seu stand, na Fenearte, vai identificar que a artesã imprimiu nos objetos comuns, do cotidiano do povo nordestino, o Estilo Provençal - característico do século XVII, da região de Provença, sul da França, que é marcado também por cores claras e motivos florais. As peças pintadas com traços em ouro velho e découpage tentam resgatar as antigas decorações das zonas rurais francesas. A mistura do clássico com o rústico dá um toque de requinte e elegância que, misturado ao agradável cheiro floral do ambiente, que lembram os campos de lavanda de Provença, compõe o cenário do stand e faz o visitante se encantar.





Um comentário:

  1. Sem falar na simpatia e humildade dos artesãos! É um programa e tanto... para todas as idades. Bjs!

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita.