Na rota do forró: A xilogravura de Silvio Borges


Herdar um sobrenome, às vezes, abre algumas portas. Mas, herdar talento é para poucos e assegura o sucesso. Estamos falando de Silvio Borges, artesão, filho de Amaro Francisco Borges e sobrinho de J.Borges, ambos xilógrafos e cordelistas.
Silvio mora em Bezerros, cidade pernambucana, a caminho de Caruaru e considerada palco da xilogravura, arte tão divulgada, atualmente, na abertura do folhetim Cordel Encantado, da Rede Globo de Televisão. Inclusive, depois da telenovela, Silvio Borges avalia que houve um aumentou na procura de xilogravuras por turistas e escolas da região.
O Tudo na nécessaire foi recebido na Casa da Xilogravura, local onde Silvio produz a sua arte há pouco mais de cinco meses. A casa representa um sonho antigo de expor à produção de sua família, incluindo a mãe Nena, a irmã Silvia e agora seu filho mais velho Douglas Borges, que está iniciando no ofício. Todas as vendas da Casa da Xilogravura são administradas com muita dedicação por Cleide, esposa de Silvio.
Em 2004, quando o Banco do Estado de Pernambuco – Bandepe foi comprado pelo Banco Real, Seu Amaro Francisco recebeu um convite para confeccionar 16 folders que divulgariam o Banco entre os pernambucanos.   Na época, Seu Amaro encontrava-se internado num grande hospital de Recife. Para não perder a oportunidade de fazer o trabalho, Amaro Francisco mandou chamar o filho Silvio, que tinha abandonado a arte desde seu ingresso na Policia Militar. Para agradar ao pai, Silvio fez os folders e sempre que concluia um trabalho, levava orgulhoso ao hospital para mostrar ao pai.


A arte de Silvio Borges, que começou a talhar a madeira aos sete anos de idade, se diferencia muito de outros xilógrafos pela riqueza dos detalhes. Inspirado nas cenas do cotidiano e nas paisagens do sertão nordestino, Silvio tem como clientela turistas estrangeiros e de muitas cidades do sul e sudeste do Brasil.
Atualmente, Silvio está envolvido no Projeto Cordel nas Escolas, iniciativa da Secretaria de Educação de Limoeiro com o apoio do governo do estado de Pernambuco. O projeto pretende resgatar e valorizar a literatura popular, oferecendo oportunidades aos estudantes de revelar, também, seus talentos. Nesse intuito, os textos que serão produzidos pelos alunos das escolas públicas, terão suas capas confeccionadas na Casa da Xilogravura, sob orientação do artista.
Faltando apenas sete anos para sua aposentadoria no serviço militar, Silvio Borges diz com a simplicidade e sabedoria que marcam muitos artesões “Quero viver de minha arte e ensinar o ofício para outras pessoas, porque não existe monopólio da cultura.”

Tudo na nécessaire indica:
Casa da Xilogravura
BR-232 – Km 100 – via local – Bezerros
Pernambuco - Brasil
De segunda a sexta-feira – 9 às 17 h
Aos sábados – 9 às 17 h
Domingos – 9 às 13 h
Fone: (81) 3728-0208



Um comentário:

  1. As xilografuras de J.Borges já foram capas da revista da ESMAPE (Escola de Magistratura de PE). Foi um sucesso!

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita.