A estrela do mar

Era uma vez um escritor que morava em uma tranqüila praia, junto de uma colônia de pescadores.
Todas as manhãs ele caminhava à beira do mar, para se inspirar, e à tarde ficava em casa escrevendo.
Certo dia, caminhando na praia, ele viu um vulto que parecia dançar.
Ao chegar perto, ele reparou que se tratava de uma jovem que recolhia estrelas-do-mar da areia para, uma por uma, jogá-las novamente de volta ao oceano.
"Por que está fazendo isso?" perguntou o escritor.
"Você não vê?" explicou a jovem "A maré está baixa e o sol está brilhando. Elas irão secar e morrer se ficarem aqui na areia".
O escritor espantou-se: "Minha jovem, existem milhares de quilômetros de praias por este mundo afora e centenas de milhares de estrelas-do-mar espalhadas pela praia. Que diferença faz? Você joga umas poucas de volta ao oceano. A maioria vai morrer de qualquer forma”.
A jovem pegou mais uma estrela na praia, jogou de volta ao oceano e olhou para o escritor: "Para essa aqui eu fiz a diferença..."
Naquela noite o escritor não conseguiu escrever, sequer dormir.
Pela manhã, voltou à praia, procurou a jovem, uniu-se a ela e juntos, começaram a jogar estrelas-do-mar de volta ao oceano.


Todos nós fazemos a diferença na vida de alguém. Pode ser que esta diferença seja através da assistência amiga a partir de um telefonema, uma palavra de incentivo, um abraço, um sorriso, um elogio e até mesmo de uma crítica construtiva, num momento oportuno onde tenhamos, simplesmente, o desejo de auxiliar. Sabemos que nem sempre podemos levar a ajuda através de palavras muito carinhosas, mas não percamos a vontade de ajudar. Pense nisso.
A mensagem desta semana, de autoria desconhecida, foi enviada pelo amigo Otávio.

Bom início de semana para todos nós.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita.