O mundo mudaria de feição...




Existem dois tipos de pessoas: 

1. aquelas que pensam, planejam, assumem riscos, cooperam e executam; 

2. aquelas que não têm iniciativas, não cooperam, não executam, mas elas se sentem superiores para buscarem os erros, sugerirem modificações do que não participam ou vivem para colher apenas os aplausos.  Essas pessoas de fachada têm o poder de atormentar e desmotivar a vida das outras.

Para essa situação, aconselha Joanna de Angelis, por intermédio de Divaldo Pereira Franco:

“Faze o quanto te seja possível, sem aguardar aplausos, nem temer pedradas.

Torna-te membro do grupo que opera e fala com o objetivo superior de ser útil.




Bom início de semana.




Devo citar a hora na referência de um documento extraído da internet ?




Perguntaram-me por email:







Brincar com o tempo, quando todos nós somos escravos dele, parece-me muito bom...

Então, vamos pensar rápido.

Pense no seu primeiro grande beijo. Você se lembrará do dia, certo? 

Mas, a hora exata, perdeu a importância, não é verdade?.


E o que não é importante, nós descartarmos quando queremos.


Por isso, a dona do pedaço - a Associação Brasileira de Normas Técnicas estabelece que citar o horário da pesquisa é OPCIONAL.

Veja a regra da (ABNT 6023/2002):

“7.2.2 Quando se tratar de obras consultadas online, também são essenciais as informações sobre o endereço eletrônico,
apresentado entre os sinais < >, precedido da expressão Disponível em: e a data de acesso ao documento, precedida da expressão Acesso em:, opcionalmente acrescida dos dados referentes a hora, minutos e segundos".

NOTA – Não se recomenda referenciar material eletrônico de curta duração nas redes.

Exemplo da ABNT: 


E agora, você vai esquecer a norma?




Oportunidades










Minha torta de maçã à la Rio








Na semana passada estive no Rio de Janeiro a trabalho. Em Copacabana, próximo ao hotel, tinha uma padaria. Lá, eu comi uma torta de maçã deliciosa.

A cobertura era de feita com creme de pasteleiro. Lembrei, então, que eu tinha uma receita desse creme há mais de 20 anos, e foi minha mãe que me deu.

Observei as camadas e resolvi arriscar fazer quando cheguei em casa, para servir de sobremesa no Dia das Mães.

Fui fazendo a torta por intuição e anotando os ingredientes.




Compartilho com vocês.

Ingredientes do recheio:

6 maçãs
1 ½ xícara de açúcar
1 colher (sobremesa) de canela
4 colheres (sopa) de água
1 colher (chá) de bicabornato
3 colheres (sopa) de amido de milho
½ caixa de creme de leite sem soro
  
Massa:

A torta que eu comi no RJ, a massa era feita com farinha de trigo. Mas, acho super trabalhosa, então resolvi fazer de biscoitos.

Usei:

1 pacote de biscoitos Marilan/Maisena (400 gramas)
Margarina suficiente para encorpar os biscoitos e forrar a forma com 35 cm de diâmetro.

Ingredientes da cobertura - creme pasteleiro:
  
2 copos (ou xícara) de leite de vaca

2 gemas

4 colheres (sopa) de farinha de trigo sem fermento

2 xícaras de açúcar

1 colher (sobremesa) de margarina

3 colheres (sopa) de creme de leite ou ½ caixa

1 colher (café) de essência de baunilha


Recheio:

Cortei as maçãs em fatias, retirando apenas as sementes. Coloquei numa panela com o restante dos ingredientes, exceto o amido de milho e o creme de leite. Quando levantou fervura, misturei o amido de milho. O doce engrossou. Desliguei o fogo e acrescentei o creme de leite. Reservei.




Massa:

Triturei os biscoitos e encorpei com a margarina. Forrei a forma de 35 cm de diâmetro. Reservei.



Creme pasteleiro:

Misturei os ingredientes conforme a receita abaixo e levei ao fogo para engrossar, exceto o creme de leite - que não tinha na receita e resolvi incluir depois de ter tirado a papa do fogo.




Montagem:


Despejei o creme dentro da massa de biscoitos, cobri com o creme pasteleiro. Decorei com calda de caramelo. Preparei esta receita um dia antes do Dia das Mães. 






Ficou excelente!