Eduardo e Mônica




"Eduardo e Mônica eram nada parecidos
Ela era de leão e ele tinha dezesseis
Ela fazia Medicina e falava alemão
E ele ainda nas aulinhas de inglês"

(Eduardo e Mônica, de Legião Urbana)


Muitos casais, apesar de manterem relacionamentos saudáveis por anos a fio, reconhecem que não conseguem, em determinados assuntos, estabelecer um acordo, entrar em sintonia,  tolerar opiniões opostas, compreender e aceitar atitudes e do parceiro ou parceira.

É justamente nesse ponto que se instala o conflito. É o momento em que a cumplicidade se despede, as palavras ferem, a individualidade fala mais alto, as divergências tomam proporções antes jamais imaginadas, os pactos são revistos e o coração sangra enquanto a razão descansa.

"Ela gostava do Bandeira e do Bauhaus
De Van Gogh e dos Mutantes
Do Caetano e de Rimbaud
E o Eduardo gostava de novela
E jogava futebol de botão com seu avô."

(Eduardo e Mônica, de Legião Urbana)


Mas, os opostos se atraem. É uma lei natural. E convivem. Porque, como diz o escritor Neale Donald Walsch, dependemos de todos os relacionamentos na vida, e sem eles nada somos. Mas, o modo que nos relacionamos com o outro, revela os nossos defeitos e virtudes, mesmo que haja um forte sentimento que una o casal - chamado amor.

Perguntamos, então, para 5 casais: 

O que vocês não conseguem fazer juntos porque termina em briga?

(J.D. e R.C.L. - 11 anos de casados)

"Nós dois trabalhamos. Cada um tem sua renda, mas não conseguimos concordar na administração financeira. Um não concorda com os gastos do outro, essa é a verdade. E o problema se dá porque cada um deve assumir a responsabilidade do que faz, de sua decisão em gastar ou não. Além disso, se soma a dificuldade que temos de nos fazer entender nesse momento."

(C.A. e M.C.A - 13 anos de casados)

"Fazemos muitas coisas juntos, reconheço. Mas, quando se trata do planejamento financeiro, aí o bicho pega.  Enquanto eu quero poupar para investir na casa, ele só pensa em investir no carro. Nunca vamos chegar a um acordo."

(A. e V. - 24 anos de casados)

"Parece uma pergunta fácil de responder, mas é difícil. Para nos preservar, respondo que não conseguimos cozinhar juntos. Só isso."


(A.F. e J.F. - 16 anos de casados)

"Temos um casal de filhos e a nossa maior dificuldade está, justamente, na educação deles. Eu dou uma ordem ou orientação e meu marido dá outra. Por exemplo, eu digo que as crianças devem dormir cedo e ter hora para usar o computador, mas ele é contra. Além disso, ele protege demais a menina em relação ao menino. Isso cria muitos problemas."

(J.C. e H.R. - 62 anos de casados)

"Sabe que eu não sei o que não conseguíamos fazer juntos, quando estávamos mais jovens e antes dele ficar doente. Sempre fomos muito unidos. Uma coisa que me lembro é sobre a educação dos filhos que, às vezes, discordávamos. Outra coisa: ele sempre foi mais caseiro, e eu sempre gostei de passear. Isso causava brigas"


"E quem um dia irá dizer que existe razão
Nas coisas feitas pelo coração?
E quem irá dizer que não existe razão?"


(Eduardo e Mônica, de Legião Urbana)






O sentido das críticas





Tem gente que faz. E gente que critica.

Tem gente que não mede esforços para realizar. Em contrapartida, tem gente que se ocupa em encontrar os defeitos - atitude sempre mais fácil.

Todo o ser humano prefere o elogio à critica.

Contudo, diz Emmanuel para termos cuidados com “frases superficiais, no perigoso festim da lisonja”. Assim, serão sempre bem-vindas as palavras que mostram quão necessários ainda é preciso nos aperfeiçoar, ao invés daquelas que estão vazias de propósitos e bons sentimentos.



Trecho do livro "Salomão, o homem mais rico que já existiu", de Steven K. Scott, Ed. Sextante, 2008.

Ótimo início de semana.

Salpicão com frutas secas







Gosto muito de salpicão - uma salada super prática que, acompanhada de arroz, é uma ótima opção para almoço. Fiz um com frutas secas e ficou delicioso.

Usei:

2 peitos grandes de frango. Temperei ao meu gosto, cozinhei, desfiei e reservei.





Depois cortei bem pequenos:

Repolho cru (pedaço pequeno)
1 cebola
2 cenouras cruas
2 maças
50 gramas de tâmaras secas
100 gramas de damascos secos
100 gramas de figos secos
70 gramas de cranberries secas
100 gramas de presunto cortado em tiras









Acrescentei ainda:

2 caixinhas de creme de leite, porque não gosto de usar maionese.
1 caixa de ervilha com milho verde
Uma pequena quantidade de uvas-passas (que amo).




Misturei tudo isso com o frango desfiado e servi acompanhado de arroz branco. Com folga, esta receita dar para 8 pessoas.





Pura verdade!





Do livro "Porque sofremos", de Huberto Rohden





Bom início de semana.