Um dia diferente



O dia começou como centenas de outros: horrível.

Já era suficientemente ruim estar na Judeia, mas era um inferno passar tardes quentes numa colina rochosa, supervisionando a morte de batedores de carteiras e agitadores.

Metade da multidão insultava e a outra metade chorava.



La Deposizione Dalla Cruce - Pintura de Michelangelo Merisi Caravaggio / Museu do Vaticano (Roma)
 Pode ser fotografada pelo visitantes.


Os soldados reclamavam. Os sacerdotes controlavam.

Era um trabalho ingrato numa terra estranha...

Ficou curioso diante da atenção dada ao camponês de pés chatos. Sorriu ao ler a placa que seria colocada na cruz. O condenado parecia qualquer coisa, menos um rei. Seu rosto estava sujo e ferido. Suas costas estavam levemente arqueadas e seus olhos se voltavam para baixo.

O que fez Ele? – pensou.

Então, Jesus levantou a cabeça. Não estava irado. Não estava inquieto. Seus olhos pareciam estranhamente calmos por trás daquela máscara de sangue. Olhou para os que o conheciam – fitando deliberadamente cada rosto como se tivesse uma palavra para cada um.

Olhou para aquele centurião por apenas um instante. Seus olhos se encontraram. Mas aquele olhar o fez engolir em seco... Algo avisava que seria um dia incomum... No meio da tarde, o céu negro. Num minuto, sol. No outro, trevas. Num instante, calor; no outro, uma brisa fria. Até os sacerdotes silenciaram...

De repente, a cabeça parou de se mexer. E num clamor, o centurião ouviu “está consumado!”

Então, coube ao centurião declarar o que todos sabiam: “Verdadeiramente este era o Filho de Deus!”

                                                 *

O trecho foi extraído do livro “Seu nome é amor”, escrito por Max Lucado, e mostra a mudança de atitude do centurião ao reconhecer que Jesus tinha sido crucificado por erro da humanidade. O livro eu ganhei carinhosamente, e recentemente, da Dra. Eugênia Calheiros. Com a mensagem, eu desejo que sua renovação espiritual seja capaz de reconhecer os verdadeiros caminhos que levam ao amor fraternal - sentimento que todos nós estamos carecendo desde sempre. 

Boa Páscoa!




Peixe à delícia





Que tal servir no almoço um prato único, daqueles que pedem como acompanhamento apenas um arroz branco?

Mãos na massa, ou melhor, no peixe para fazer “Peixe à delícia” .

Existem várias receitas na internet, mas fiz uma da seguinte forma:

1º Passo:

Ingredientes:

1 kg de peixe a sua escolha. O ideal é o filé.
2 limões
4 bananas médias pacovan
Tempero e sal a gosto
Óleo para fritar
200 gramas de queijo mussarela

Modo de fazer: Coloque o peixe numa pirex e adicione o suco dos limões, sal e tempero a gosto. Eu temperei com alho granulado, alho poró, verduras verdes picadas e uma pitada de noz moscada. Deixe marinar por 1 hora ou mais. Depois frite em óleo quente. Reserve.

2º Passo:

Corte as bananas em tiras. Depois frite, usando margarina ou óleo. Reserve.

3º Passo:

Faça um molho branco com os seguintes ingredientes:

2 xícaras (chá) de leite
1 cebola grande cortada miudinha ou ralada
3 colheres (sopa) de margarina
1 caixa de creme de leite
2 colheres (sopa) bem cheias de farinha de trigo
Alho granulado ou 1 dente de alho amassado
Sal a gosto.

Modo de fazer: Corte a cebola e frite, na margarina, junto com o alho. Acrescente a farinha de trigo e continue mexendo. Despeje o leite e não pare de mexer até formar uma papa. Retire do fogo e acrescente o creme de leite.  Reserve.

4º Passo: Montagem




Numa pirex refratária, arrume uma camada de peixe e cubra com bananas fritas e depois molho branco. Continue arrumando nesta ordem: peixe + banana + molho branco. Por último, espalhe o queijo mussarela. Leve ao forno microondas até derreter o queijo.




Fica Hummmmmmmmmmmm delícia! Bom apetite!


Ah! e se alguém tiver  boas receitas de prato único, sobremesas, bolos e outras delícias, envie-me que terei imenso prazer em publicá-las. Mas, só valem as receitas já testadas, incluindo o "pulo do gato" - aquele segredinho para dá mais sabor à culinária.




Não seja mala


 
De boa! Não seja mala nos hotéis – como diria meus filhos.

É bem sabido que todo turista chega ao hotel com certa dose de euforia, inquietação e cansaço. Seja porque ele está num lugar que sempre pensou em conhecer, seja porque o translado não saiu como planejado e o tempo é fator preponderante, seja porque o que ele mais está pensando é tomar um bom banho antes de começar a se divertir. E como em tudo na vida há duas faces, existem turistas que são verdadeiras “malas”: mal educados, pedantes e, algumas vezes, chegam à agressividade.



 Francine Chadon e Monique Oliveira afirmam que ser gentil é condição essencial à profissão.
                                                     *

Mesmo que todos os funcionários do hotel sejam capacitados para lidar com situações que exigem paciência e muita tolerância, é essencial que o turista pesquise todas as informações sobre sua hospedagem, afirma Monique Oliveira, recepcionista de um dos hotéis que fazem parte da Rede Nacional Inn. A mesma opinião é dividida com Francine Chodon, também recepcionista. Segundo ela, “Mesmo que a viagem faça parte de um pacote vendido por uma conceituada agência, o turista tem obrigação de saber tudo que possa comprometer seu lazer.”

Eis 5 dicas para uma boa estadia:

1 Todo turista deve saber que os hotéis exigem, legalmente, o pagamento antecipado, ou seja, no check in, e geralmente não parcelam o débito. Se a hospedagem está incluída num pacote de viagem, já houve o faturamento pela agência. Contas extras, como consumo de frigobar e outros serviços serão pagos no check out, na hora da saída.



2 Todos os hotéis têm áreas coletivas com horários determinados para funcionamento, como por exemplo: a piscina, academia de ginástica, sauna, salão de jogos e restaurantes. Todos esses serviços exigem limpeza e manutenção. Portanto, não insista em usá-los fora do horário. Mesmo que você tenha excursões programadas, a maioria dos hotéis começa a servir o café da manhã logo cedo.

3 Informe-se, antecipadamente, que tipo de acomodação o hotel oferece e o que dispõe nos quartos, como frigobar, secador, cafeteira, aquecedor, cofre entre outros.



4 Se você vai viajar de carro, é imprescindível saber que tipo de estacionamento o hotel oferece: área coberta, amplo, com segurança e/ou manobrista. Há hotéis que oferecem vagas limitadas e cobram uma taxa extra e diária pelo estacionamento.


Simpáticas. Bons profissionais fazem a diferença no atendimento.
*

5 Entenda que o corpo de funcionários de um hotel, mesmo com boa-vontade, pode não conhecer todos os pontos turísticos ou lugares que você deseja visitar. Nesse caso, pesquise antes a localização do hotel em relação às cidades circunvizinhas e pontos turísticos. Peça um mapa da cidade e, se você tiver limitações quanto ao idioma, procure essas informações antes de sair de seu país.




Tanto a recepcionista Monique Oliveira quanto Francine Chodon são unânimes em afirmar “Todo turista deve ter consciência que mesmo que ele tenha percorrido o mundo, fale vários idiomas e disponha de muitas moedas, o que irá facilitar sua estadia, realmente, é a educação que ele traz na bagagem pessoal”.  

Boas dicas para colocar em prática já neste feriadão.





A espada perdida








Conta uma lenda chinesa que, certa vez, um homem estava atravessando um rio a bordo de um barco, bastante simples. Durante a navegação e, por um momento de descuido, sua espada caiu na água.

Outros passageiros que dividiam com ele a viagem, surpreendidos, foram solidários ao acontecimento e lamentaram a perda. Mas, o homem, sem mostrar nenhuma preocupação, não se lamentou, apenas fez uma marcação no barco, junto do local onde sua espada havia caído.

Alguns passageiros que presenciaram o fato, perguntaram:

- Para que essa marca no barco?

O homem respondeu, sem dúvida:

- A espada caiu aqui. Vou encontrar a minha espada neste lugar mesmo, assim que o barco atracar na outra margem do rio.

Todos os passageiros riram, menos o homem que permaneceu sério.

Um passageiro mais extrovertido disse:

- Como será isso possível? Sua espada caiu no rio e o barco continua a andar. Estais pensando que sua espada está acompanhando o movimento do barco? Que falta de bom senso!

O homem ouviu e ficou calado.

Ao chegar à outra margem do rio, obviamente, todos sabem o que aconteceu: o homem tinha perdido, definitivamente, sua espada.

Às vezes, na vida, tomamos atitudes estúpidas, sem a menor perspicácia e bom senso só porque estamos tão arraigados a certos comportamentos, tradições, opiniões e conceitos que não percebemos as várias formas da realidade que se apresenta, tão nítida para os que nos cercam, e tão obscura para nós. É assim que muitos de nós perdemos relacionamentos, amizades, deixamos os afetos partirem esperando encontrar a perfeição em outras pessoas. São tantas oportunidades que temos de contornamos situações que nos levam à tristeza e melancolia. Mas muitos de nós, infelizmente, seguem pelo caminho contrário. Remar contra a maré, no mínimo, é burrice.

Bom início de semana. Paz no coração.





Bolo de aveia



Rápido e muito fácil.

Na verdade, comecei a receita tentando fazer uns biscoitinhos de aveia que li num livro. Segui a receita passo a passo, mas o resultado ficou horrível. Como não gosto de jogar comida no lixo, por questões humanitárias, resolvi transformar o que restou dos biscoitinhos depois que saiu do forno: apenas a aveia.


Biscoitos não deram certo.


Fazia tempo que eu tinha a receita do bolo e não havia testado, mas vejam como ficou:




  
Usei:

1 xícara de açúcar mascavo
100 gramas de margarina (temperatura ambiente)
4 ovos
1 xícara de aveia em flocos. Sempre uso flocão e aproveitei a aveia que estava na bandeja e que deveria ter sido transformada em biscoitos.
1 xícara de farinha de trigo
1 colher (chá) de canela. Pra mim, usar canela em pó já deixa o gosto bem agradável em qualquer alimento.
2 colheres (chá) de fermento
¼ xícara de leite. Bem pouquinho.
Uvas passas.

Agora, a forma de fazer:

Numa tigela, coloque todos os ingredientes, menos as uvas passas. Bata por uns 4 minutos, com a batedeira. Despeje a massa numa forma untada com margarina e farinha de trigo. Polvilhe com canela em pó e salpique uvas passas. Coloquei também, por cima, mais aveia e canela.








Leve ao forno pré-aquecido. Faça o teste do palito e quando ele sair limpo, retire do forno. Passa uns 30 minutos para assar, dependendo do forno. Desenforme quente.




Apesar dos ingredientes, não se engane. Este bolo não é diet.